Untitled Document
Voltar
OBRAS DA COMPESA: CMARA PROMOVE AUDINCIA PBLICA.
Publicada em: 11/09/2018
 

 

A 5ª(quinta) REUNIÃO ORDINÁRIA DA SEGUNDA SESSÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DEU LUGAR À AUDIENCIA PÚBLICA COM A FINALIDADE DE ESCLARECER A POPULAÇÃO EM RELAÇÃO ÀS OBRAS DE SANEAMENTO, DA COMPESA (P.S.A. DO IPOJUCA).

Descontentes com a desestruturação das vias públicas, danos causados às casa residenciais, comércios interrompidos, amontoados de pedras e metralhas, lixo, poeira, buracos, o povo cobrou dos técnicos da COMPESA organização e programação de modo às obras poderem ser executadas sem criar problemas graves para a população.

“(...) disse que há atenção em relação a possibilidades de danos às casas, disse que a COMPESA resolverá possíveis problemas ou eventuais danos às casas, prédios, que possam ser danificados em razão das escavações e quebra de rochas.” (Igor Ferreira, O engenheiro da COMPESA).

OS VEREADORES participaram ativamente da audiência cobrando da COMPESA ordem e respeito à população e ao erário público, tendo, contudo esclarecendo para população da importância das obras de saneamento para o município.

O VEREADOR HILDO DE OLIVEIRA (DIDO DO MULUNGU) esclareceu aos presentes que trata-se de uma obra fundamental para o município, tendo dito que as repercursões na saúde pública são as melhores possíveis, disse que os transtornos são comuns às obras de grande porte e que os excelentes resultados justificam a empreitada, inclusive com a despoluição do Rio Ipojuca.

O VEREADOR LIELSON BATISTA (LI), na oportunidade, disse conhecer os benefícios de uma obra estruturadora com a do psa ipojuca, disse está de acordo tendo salientado que saneamento implica em saúde pública, porém, categóricamente, disse não ser possível executar as obras de qualquer modo, sem planejamento, deixando a população nos amontoados de pedras, na poeira, com esgoto à céu aberto, tendo na oportunidade solicitado um planejamento que busque acomodar as obras e a vida das pessoas com qualidade e sem danos à saúde.

O VEREADOR FERNANDO TADEU DIDIER, ante aos debates, garantiu que as obras são estruturadoras, que o prefeito não permitirá que o município seja prejudicado, esclareceu ao povo que a qualidade de vida após a conclusão das obras será da melhor qualidade e que o povo precisa ter dignidade, disse que a fase das obras são as piores, contudo, os benefícios são os melhores possíveis. destacou a importância das obras para a vida do Rio Ipojuca, tendo na oportunidade sugerido uma avaliação em relação aos danos causados  para possíveis reorganizações nas obras de modo a melhorar o dia-a-dia da população.

O VEREADOR JOAQUIM LUCIANO sugeriu, na audiência pública, que o desenvolvimento dos trabalhos fossem feitos por etapa, com o fechamento de uma ou duas ruas e após a conclusão, seguir para outras duas vias, tendo o engenheiro Igor ficado disponível para avaliar a possibilidade. Com o apoio do VEREADOR RODRIGO DIDIER, em relação ao pleito no aspecto da interdição da via pública, o engenheiro enfatizou que ficará atento a esta possibilidade, tendo, a COMPESA acatado.

                Representantes da COMPESA e populares se pronunciaram, conforme trechos da ata, na íntegra:

“chamada, à Tribuna da Câmara, a Ilma. Senhora Iva Pereira , consultora da equipe social da COMPESA que pronunciou-se esclarecendo aos presentes as consequências da obra, tendo dito ser uma obra de grande porte, falado dos transtornos iniciais como poeira, buracos, inconvenientes, tendo chegado aos benefício da referida obra, tanto do aspecto social, de saúde pública como na preservação do meio ambiente. Na oportunidade anunciou a presença do Engenheiro da COMPESA Ivo Ferreira, coordenador do projeto social e de engenharia; Natali Monteiro, Técnica em saneamento e meio ambiente; Antônio de Pádua, responsável pela fiscalização da obra; não estando presente o técnico da SCAVE, Valdir; também presente o coordenador técnico da COMPESA local, José Wmaicy Ferreira Victor.”

“Em seguida, o Técnico Roberto Simas foi convocado à tribuna da Câmara, tendo, na oportunidade, esclarecido tecnicamente o processo das obras da COMPESA. Em seguida o engenheiro da COMPESA, IGOR Ferreira, esclareceu que não ira discutir problemas outros, mas tão somente as questões técnicas, disse que não veio preparado para discutir problemas de buracos, de demanda popular, veio esclarecer tecnicamente a obra, disse: “A COMPESA ESTÁ DANDO A CARA A TAPA, mas não vai discutir problemas de demanda popular, somente discutirá problemas Técnicos”.

“Populares se pronunciaram apresentando a insatisfação em razão das obras, tendo dito que a COMPESA está destruindo as vias públicas, autônomos sem poder trabalhar, cabeleireiros, lava-jatos, outros comerciantes que estão inviabilizados no seu sustento.”

“O engenheiro da COMPESA, Igo Ferreira, esclareceu que há problemas técnicos, falhas técnicas, tendo dito que estes elementos fazem parte da obra, tendo dito também que a sociedade não vem colaborando, passando caminhões por cima da obra, tendo dito que reconhece que trata-se de comerciantes locais e moradores com suas ruas interditadas. Disse que há problemas em razão do terreno com formação de rochas, disse que pegar areia da beira do rio é crime ambiental, crime, disse que há atenção em relação a possibilidades de danos às casas, disse que a COMPESA resolverá possíveis problemas ou eventuais danos às casas, prédios, que possam ser danificados em razão das escavações e quebra de rochas.”

Em “atas on-line” ata assinada por todos os vereadores e representantes da COMPESA.

 

Texto: Gustavo Areias de Oliveira Melo, ASL/Comunicação

Revisão: João Roberto Maciel de Aquino